Diálogo sobre Gênero – 09 de outubro de 2017

O que é Gênero:

Gênero pode ser definido como aquilo que identifica e diferencia os homens e as mulheres.

De acordo com a definição “tradicional” de gênero, este pode ser usado como sinônimo de “sexo”, referindo-se ao que é próprio do sexo masculino, assim como do sexo feminino.

No entanto, a partir do ponto de vista das ciências sociais e da psicologia.  O gênero é entendido como aquilo que diferencia socialmente as pessoas, levando em consideração os padrões histórico-culturais atribuídos para os homens e mulheres.

Por ser um papel social, o gênero pode ser construído e desconstruído.

No Brasil, até os anos 1930, o gênero feminino não votavam e poucas mulheres frequentavam a escola. Entre o absurdo das alegações estava o de que elas “não deviam saber ler nem escrever para não se corresponderem com namorados/amantes etc.”. Da era Vargas aos tempos atuais, lá se vão mais de 80 anos! De lá para cá. O gênero feminino passou por duras etapas de verdadeiras provações e conquistas.

Uma situação particular bastante preocupante com relação aos direitos do gênero feminino é que a cultura machista encontra fértil terreno na própria mente feminina. E isso só prova o quanto a ideologia de dominação pelo macho tem raízes fundas nas ações humanas. Mas, atenção! Não menciono isso aqui com o intuito de, mais uma vez, devolver a “batata quente” para as mãos das mulheres, como quem diz: ‘…se a própria mulher se discrimina, como o homem não irá fazê-lo?’ Essa é uma fala oportunista, própria daqueles que insistem em prosseguir sempre na sua a discriminação; não perdem a mínima oportunidade de atacar os direitos do sexo feminino.

O estágio de afirmação mais definitivo da mulher passa pelo reconhecimento das questões de gênero! Entender que igualdade aqui não é ser “igual” física nem mentalmente, mas humanamente. Aliás, a mulher tem muito mais a oferecer em termos de vivência humana, já que passa pela maternidade e amamentação.

A trajetória de luta foi longa e continua sendo. Mesmo nos dias atuais, a força-bruta prevalece em uma série de situações que vão desde o sexismo, o assédio sexual e moral, a discriminação salarial, a violência psicológica motivada por graves ameaças em que mulheres são obrigadas a conviver/suportar rotinas de exploração, violência física, degradação e o estupro.

No mundo do trabalho é comum vermos homens agirem com truculência em relação as mulheres; coisa que esse mesmo homem “pega leve” quando se trata de alguém do sexo masculino.

Como vemos, esta História está longe de um final feliz, ou melhor, de um patamar aceitável de convivência com o MASCULINO em que as relações se igualem; em que os diferentes sejam respeitados no que têm de iguais e mesmo naquilo em que a diferença é fundamental.

Porque faço essa fala?

Lendo o Regimento interino desta casa não encontrei a terminologia do gênero feminino, minto em todo o Regimento encontrei a palavra a vereadora uma vez

O que o regimento interno cita: O Prefeito, O vice prefeito, o vereador, o funcionário, o assessor …

Art. 67. O Vereador poderá licenciar:

I – por motivo de saúde, devidamente comprovado, devendo a Mesa, quando exceder mais de duas licenças por sessão legislativa, conceder se precedido de junta médica, composta por dois médicos nomeados pela Mesa;

II – para tratar de interesse particular, desde que o período de licença não seja superior a 120 (cento e vinte) dias por sessão legislativa, nem inferior a 30 (trinta) dias;

III – no caso de gestante, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias consecutivos, contados do primeiro dia do nono mês de gestação, salvo antecipação por prescrição médica;

IV – no caso de adotante de criança de até 01 (um) ano de idade, pelo prazo de 180 (cento e oitenta) dias, para o ajustamento do adotado ao novo lar.

  • 1º Nos casos dos incisos I e II, não poderá o Vereador reassumir antes que se tenha escoado o prazo de sua licença;
  • 2º Para fins de remuneração, considerar-se-á como em exercício o Vereador licenciado nos termos do inciso I e IV e a Vereadora licenciada nos termos dos incisos I, III e IV.

Proposta:

Nós Vereadoras, Carmem, Iva e Eu, entramos com um requerimento solicitando que se coloque no Regimento Interno desta casa a terminologia do gênero feminino e gostaríamos do apoio também de todos os vereadores.

Em nome e em respeito as mulheres, solicitamos o cuidado para o uso correto da terminologias do sexo feminino em todas as leis, decreto, ações etc. que passar por esta casa.

Vou dar um exemplo: Título de cidadão Primaverasse – homenagens aos pioneiros feita no ano passado.

1979 – chegaram aqui em Primavera

1982- Dona Maria teve um filho, em Poxoréo (não tinha hospital)

2016 – Título de cidadão Primaverasse somente ao Homem

 

  1. Sexismoou discriminação de gênero é o preconceito ou discriminação baseada no sexo ou gênero de uma pessoa. O sexismo pode afetar qualquer gênero, …

Sexismo é o ato de discriminação e objetificação sexual, é quando se reduz alguém…

Dá-se o nome de sexismo à discriminação que é exercida sobre um indivíduo pelo seu sexo. Isto significa que a pessoa é discriminada.

 

 

 

 

 

 

Compartilhe esse Post

Com muito ❤ por go7.site