Professora petista lança pré-candidatura ao governo de MT

O nome da professora Edna Sampaio foi apresentado oficialmente, como pré-candidata ao governo de Mato Grosso pelo grupo que defende candidatura própria, durante a reunião ampliada da Direção do PT, realizada no sábado (23.06), convocada para fazer o lançamento da pré-candidatura de Lula à presidência da República. A ex-vereadora por Cuiabá, Enelinda Scala, foi apresentada como pré candidata ao Senado.  

O Grupo de Trabalho Eleitoral (GTE) do Partido também apresentou as pré-candidaturas a deputado estadual e a federal. Seguindo a orientação do Diretório Nacional do PT, a efetivação ou não das candidaturas majoritárias ocorrerá no dia 28 de julho no Encontro Estadual de Tática Eleitoral.

A direção estadual do PT aprovou resolução apontando que seguirá conversando com lideranças e dirigentes de partidos do campo democrático e popular, no intuito de construir alianças em torno de um programa para o Estado, que seja contrário a lógica elitista do desgoverno Taques e contrário à política neoliberal em curso no Brasil e no Estado.

Quem é Edna Sampaio

Mulher negra, doutora em Ciências Sociais e professora da UNEMAT desde 1994, trabalhou como Gestora Governamental da Secretaria de Estado de Planejamento e Coordenação Geral de MT possui ampla experiência técnica nas áreas de Governo, Políticas Públicas e Planejamento Governamental. Seus estudos estão voltados para as condições de acesso de estudantes de classes populares na UNEMAT, Direitos Humanos, Governo, Políticas Públicas e Planejamento Governamental, com enfoque para a questão da desigualdade social e educação na agenda das Políticas Públicas.

Manifesto da pré-candidata, Edna Sampaio, ao Governo de MT

Companheiras e companheiros do PT, Militantes e simpatizantes, Trabalhadoras e trabalhadores de Mato Grosso!

Vivemos um Estado de Exceção. O golpe contra o governo do povo, representado pela primeira mulher Presidenta da República, além de misógino, foi o símbolo mais violento do ardil construído ao longo dos anos contra o governo popular. Entre os golpistas estão muitos daqueles que, mesmo cerrando fileiras na base de nosso governo, nunca representaram os interesses da classe trabalhadora.

O massacre midiático ao PT, a criminalização de nossas lideranças, a prisão de Lula revelam o desprezo de nossas elites por quaisquer limites civilizatórios na apropriação do Estado para os seus interesses. Por isso Lula é preso político, condenado sem provas num processo jurídico fraudulento.

As forças que se movem para consolidar o golpe contra a classe trabalhadora e a manutenção da prisão arbitrária de Lula, enfrentam a grandeza e a resistência do PT e do amplo campo de militantes sociais, intelectuais, artistas que denunciaram e produziram as condições de contraposição ao discurso dos veículos midiáticos comprometidos com o retrocesso. Esse movimento impediu os golpistas de consagrarem a vitória sobre nossa luta. O resultado é expresso nas pesquisas que revelam que metade da população acredita que houve golpe. Lula segue disparado na preferência do povo, sendo visto pela maioria dos eleitores como candidato que melhores condições têm de enfrentar a crise econômica brasileira.

Nesse quadro, é preciso ter consciência de que as eleições de 2018 pode ser a legitimação final do golpe, caso os golpistas consigam eleger maioria de seus representantes para os governos e casas legislativas. As forças populares precisam enfrentar e vencer eleitoralmente as candidaturas do golpe e assim reverter o retrocesso contra os direitos dos trabalhadores.

Como militante histórica do PT, forjada nas lutas cotidianas do sindicato, na Universidade, nos movimentos sociais e, tendo sido convocada por diversos dos companheiros que estão na mesma luta, resolvi colocar meu nome à disposição do meu partido para a pré-candidatura ao Governo do Estado de Mato Grosso.

Num quadro de pré-candidaturas de homens brancos, todos representantes dos interesses do agronegócio e sócios do golpe, o PT precisa garantir o palanque para Lula em Mato Grosso.

A indisponibilidade de lideranças caras como os companheiros Ságuas, Abicalil, Lúdio não pode significar ausência de protagonismo do PT no estado. O PT é feito de muitos braços na luta e, por isso me coloco com o apoio de ampla parcela do partido que anseia por candidatura própria. Vamos transformar estas eleições num grande movimento em favor da Democracia e de Liberdade para Lula. É preciso reagir, reconstruir nosso protagonismo, nossa capacidade de aglutinar o campo progressista, resistir ao golpe elegendo Lula Presidente!!

Assim, caso seja do entendimento do Diretório Estadual do PT acolher a candidatura de uma mulher negra, de 51 anos, servidora pública, professora da UNEMAT, militante e filiada ao PT desde os 20 anos de idade: estou pronta para assumir este desafio e sustentar o palanque de Lula em Mato Grosso como candidata a Governadora deste estado que é o lugar onde nasci, cresci e criei minha família.

Compartilhe esse Post

Com muito ❤ por go7.site